Connect with us
Barra

Geral

Jornada On-Line de Paulinha Pretti

Published

on

Gos­tei de mo­da e che­guei até a abrir uma lo­ja de rou­pas, mas aca­bei fe­chan­do por fal­ta de ex­pe­ri­ên­cia. Em pa­ra­le­lo, fiz du­as fa­cul­da­des, uma de­las, Psicologia, cu­jo co­nhe­ci­men­to me agre­ga em vá­ri­as áre­as da mi­nha vi­da pes­so­al e pro­fis­si­o­nal. Tu­do que pas­sei foi ne­ces­sá­rio pa­ra che­gar on­de es­tou”, re­su­me.

Além de sua pai­xão, mo­da, Pau­li­nha in­ves­te na di­ver­si­da­de de con­teú­dos, com te­mas co­mo be­le­za, vi­a­gens, fa­mí­lia e si­tu­a­ções do co­ti­di­a­no. “O en­co­ra­ja­men­to veio das ami­gas e fa­mí­lia, que sem­pre me con­sul­ta­vam na ho­ra de es­co­lher um look, dicas de aces­só­ri­os… Co­me­cei tam­bém a re­ce­ber men­sa­gens de se­gui­do­ras me per­gun­tan­do de on­de era aque­la rou­pa, on­de ti­nha com­pra­do aque­le pro­du­to e, aos pou­cos, per­ce­bi que aqui­lo era mai­or do que eu es­ta­va ima­gi­nan­do”, re­cor­da ela, so­bre os pri­mei­ros pas­sos. Ho­je, ape­sar de to­da ex­pe­ri­ên­cia nas re­des, Pau­li­nha ain­da pre­za pe­la cau­te­la. “Gos­to de tro­car ex­pe­ri­ên­cia e pen­so em con­teú­dos de qua­li­da­de, que fa­rão di­fe­ren­ça pa­ra o pú­bli­co. Pa­ra mim, a mai­or di­fi­cul­da­de é se man­ter em um meio em que a opi­nião é ex­pos­ta mui­to fá­cil e sem fil­tros. Te­mos res­pon­sa­bi­li­da­de so­bre o que di­vul­ga­mos, pro­cu­ro ser trans­pa­ren­te e, se is­so é ser re­fe­rên­cia, di­ga­mos que pre­fi­ro ser uma ins­pi­ra­ção”, fri­sa ela. Ou­tro de­sa­fio é li­dar com as crí­ti­cas, mas Pau­li­nha ti­ra de le­tra. “Apren­di a res­pei­tar as crí­ti­cas cons­tru­ti­vas, só não to­le­ro crí­ti­cas des­tru­ti­vas, com o ob­je­ti­vo de nos

Além de sua pai­xão, mo­da, Pau­li­nha in­ves­te na di­ver­si­da­de de con­teú­dos, com te­mas co­mo be­le­za, vi­a­gens, fa­mí­lia e si­tu­a­ções do co­ti­di­a­no. “O en­co­ra­ja­men­to veio das ami­gas e fa­mí­lia, que sem­pre me con­sul­ta­vam na ho­ra de es­co­lher um look, dicas de aces­só­ri­os… Co­me­cei tam­bém a re­ce­ber men­sa­gens de se­gui­do­ras me per­gun­tan­do de on­de era aque­la rou­pa, on­de ti­nha com­pra­do aque­le pro­du­to e, aos pou­cos, per­ce­bi que aqui­lo era mai­or do que eu es­ta­va ima­gi­nan­do”, re­cor­da ela, so­bre os pri­mei­ros pas­sos. Ho­je, ape­sar de to­da ex­pe­ri­ên­cia nas re­des, Pau­li­nha ain­da pre­za pe­la cau­te­la. “Gos­to de tro­car ex­pe­ri­ên­cia e pen­so em con­teú­dos de qua­li­da­de, que fa­rão di­fe­ren­ça pa­ra o pú­bli­co. Pa­ra mim, a mai­or di­fi­cul­da­de é se man­ter em um meio em que a opi­nião é ex­pos­ta mui­to fá­cil e sem fil­tros. Te­mos res­pon­sa­bi­li­da­de so­bre o que di­vul­ga­mos, pro­cu­ro ser trans­pa­ren­te e, se is­so é ser re­fe­rên­cia, di­ga­mos que pre­fi­ro ser uma ins­pi­ra­ção”, fri­sa ela. Ou­tro de­sa­fio é li­dar com as crí­ti­cas, mas Pau­li­nha ti­ra de le­tra. “Apren­di a res­pei­tar as crí­ti­cas cons­tru­ti­vas, só não to­le­ro crí­ti­cas des­tru­ti­vas, com o ob­je­ti­vo de nos

Além de sua pai­xão, mo­da, Pau­li­nha in­ves­te na di­ver­si­da­de de con­teú­dos, com te­mas co­mo be­le­za, vi­a­gens, fa­mí­lia e si­tu­a­ções do co­ti­di­a­no. “O en­co­ra­ja­men­to veio das ami­gas e fa­mí­lia, que sem­pre me con­sul­ta­vam na ho­ra de es­co­lher um look, dicas de aces­só­ri­os… Co­me­cei tam­bém a re­ce­ber men­sa­gens de se­gui­do­ras me per­gun­tan­do de on­de era aque­la rou­pa, on­de ti­nha com­pra­do aque­le pro­du­to e, aos pou­cos, per­ce­bi que aqui­lo era mai­or do que eu es­ta­va ima­gi­nan­do”, re­cor­da ela, so­bre os pri­mei­ros pas­sos. Ho­je, ape­sar de to­da ex­pe­ri­ên­cia nas re­des, Pau­li­nha ain­da pre­za pe­la cau­te­la. “Gos­to de tro­car ex­pe­ri­ên­cia e pen­so em con­teú­dos de qua­li­da­de, que fa­rão di­fe­ren­ça pa­ra o pú­bli­co. Pa­ra mim, a mai­or di­fi­cul­da­de é se man­ter em um meio em que a opi­nião é ex­pos­ta mui­to fá­cil e sem fil­tros. Te­mos res­pon­sa­bi­li­da­de so­bre o que di­vul­ga­mos, pro­cu­ro ser trans­pa­ren­te e, se is­so é ser re­fe­rên­cia, di­ga­mos que pre­fi­ro ser uma ins­pi­ra­ção”, fri­sa ela. Ou­tro de­sa­fio é li­dar com as crí­ti­cas, mas Pau­li­nha ti­ra de le­tra. “Apren­di a res­pei­tar as crí­ti­cas cons­tru­ti­vas, só não to­le­ro crí­ti­cas des­tru­ti­vas, com o ob­je­ti­vo de nos

Advertisement

Além de sua pai­xão, mo­da, Pau­li­nha in­ves­te na di­ver­si­da­de de con­teú­dos, com te­mas co­mo be­le­za, vi­a­gens, fa­mí­lia e si­tu­a­ções do co­ti­di­a­no. “O en­co­ra­ja­men­to veio das ami­gas e fa­mí­lia, que sem­pre me con­sul­ta­vam na ho­ra de es­co­lher um look, dicas de aces­só­ri­os… Co­me­cei tam­bém a re­ce­ber men­sa­gens de se­gui­do­ras me per­gun­tan­do de on­de era aque­la rou­pa, on­de ti­nha com­pra­do aque­le pro­du­to e, aos pou­cos, per­ce­bi que aqui­lo era mai­or do que eu es­ta­va ima­gi­nan­do”, re­cor­da ela, so­bre os pri­mei­ros pas­sos. Ho­je, ape­sar de to­da ex­pe­ri­ên­cia nas re­des, Pau­li­nha ain­da pre­za pe­la cau­te­la. “Gos­to de tro­car ex­pe­ri­ên­cia e pen­so em con­teú­dos de qua­li­da­de, que fa­rão di­fe­ren­ça pa­ra o pú­bli­co. Pa­ra mim, a mai­or di­fi­cul­da­de é se man­ter em um meio em que a opi­nião é ex­pos­ta mui­to fá­cil e sem fil­tros. Te­mos res­pon­sa­bi­li­da­de so­bre o que di­vul­ga­mos, pro­cu­ro ser trans­pa­ren­te e, se is­so é ser re­fe­rên­cia, di­ga­mos que pre­fi­ro ser uma ins­pi­ra­ção”, fri­sa ela. Ou­tro de­sa­fio é li­dar com as crí­ti­cas, mas Pau­li­nha ti­ra de le­tra. “Apren­di a res­pei­tar as crí­ti­cas cons­tru­ti­vas, só não to­le­ro crí­ti­cas des­tru­ti­vas, com o ob­je­ti­vo de nos.

Jornada On-Line de Paulinha Pretti

Jornada On-Line de Paulinha Pretti

“Eu apren­di a res­pei­tar as crí­ti­cas cons­tru­ti­vas.”

“A mai­or di­fi­cul­da­de é se man­ter em um meio em que a opi­nião é ex­pos­ta sem fil­tros.”

Ma­go­ar. Po­de­mos fa­lar o que qui­ser­mos, com gros­se­ria ou edu­ca­ção, que a pes­soa irá en­ten­der. En­tão, es­co­lha fa­lar com amor, se­rá me­lhor pa­ra to­dos!”, en­si­na ela, en­ca­ran­do com le­ve­za a ques­tão da ima­gem. “Não po­de­mos ne­gar que, in­fe­liz­men­te, o mun­do im­põe pa­drões de be­le­za. Pa­ra mim, o im­por­tan- te é res­sal­tar a be­le­za que ca­da um tem, in­de­pen­den­te da al­tu­ra, da cor da pe­le… Es­tou fe­liz com a pes­soa que me tor­nei, pois me acei­to”, re­fle­te ela.

Ma­go­ar. Po­de­mos fa­lar o que qui­ser­mos, com gros­se­ria ou edu­ca­ção, que a pes­soa irá en­ten­der. En­tão, es­co­lha fa­lar com amor, se­rá me­lhor pa­ra to­dos!”, en­si­na ela, en­ca­ran­do com le­ve­za a ques­tão da ima­gem. “Não po­de­mos ne­gar que, in­fe­liz­men­te, o mun­do im­põe pa­drões de be­le­za. Pa­ra mim, o im­por­tan- te é res­sal­tar a be­le­za que ca­da um tem, in­de­pen­den­te da al­tu­ra, da cor da pe­le… Es­tou fe­liz com a pes­soa que me tor­nei, pois me acei­to”, re­fle­te ela.

Advertisement

Ma­go­ar. Po­de­mos fa­lar o que qui­ser­mos, com gros­se­ria ou edu­ca­ção, que a pes­soa irá en­ten­der. En­tão, es­co­lha fa­lar com amor, se­rá me­lhor pa­ra to­dos!”, en­si­na ela, en­ca­ran­do com le­ve­za a ques­tão da ima­gem. “Não po­de­mos ne­gar que, in­fe­liz­men­te, o mun­do im­põe pa­drões de be­le­za. Pa­ra mim, o im­por­tan- te é res­sal­tar a be­le­za que ca­da um tem, in­de­pen­den­te da al­tu­ra, da cor da pe­le… Es­tou fe­liz com a pes­soa que me tor­nei, pois me acei­to”, re­fle­te ela.

Se a jor­na­da on-li­ne tem ren­di­do bons fru­tos pa­ra Pau­li­nha, é na vi­da off-li­ne que ela en­con­tra sua mo­ti­va­ção. “Não é fá­cil con­ci­li­ar tra­ba­lho, ca­sa, fi­lhos, ma­ri­do, mas fa­mí­lia sem­pre vem em pri­mei­ro lu­gar. Meus fi­lhos são mi­nha ba­se”, diz a ma­mãe co­ru­ja dos gê­me­os En­ri­co e Va­len­ti­na (8), da união com Bru­no Pret­ti (40). Em ca­sa, aliás, to­dos já es­tão ha­bi­tu­a­dos à sua ro­ti­na. “Quan­do di­zem que fi­lho de pei­xe, pei­xi­nho é… Se dei­xar, meus fi­lhos são mais in­flu­en­ci­a­do­res do que eu! Eles en­ten­dem e res­pei­tam e, às ve­zes, quan­do es­tou gra­van­do, que­rem apa­re­cer e tu­do vi­ra uma brin­ca­dei­ra!”, con­ta. “Já Bru­no é meu se­gui­dor mais as­sí­duo, me in­cen­ti­va, me apoia e aju­da na con­quis­ta dos meus so­nhos”, fa­la ela, ca­sa­da há 15 anos. “O se­gre­do do ca­sa­men­to é sa­ber se re­no­var e, de tem­pos em tem­pos, é pre­ci­so vol­tar a na­mo­rar, tro­car ca­ri­nhos, vol­tar a se­du­zir e ser se­du­zi­da e, se pos­sí­vel, fa­zer uma no­va lua de mel”, elen­ca. O

Se a jor­na­da on-li­ne tem ren­di­do bons fru­tos pa­ra Pau­li­nha, é na vi­da off-li­ne que ela en­con­tra sua mo­ti­va­ção. “Não é fá­cil con­ci­li­ar tra­ba­lho, ca­sa, fi­lhos, ma­ri­do, mas fa­mí­lia sem­pre vem em pri­mei­ro lu­gar. Meus fi­lhos são mi­nha ba­se”, diz a ma­mãe co­ru­ja dos gê­me­os En­ri­co e Va­len­ti­na (8), da união com Bru­no Pret­ti (40). Em ca­sa, aliás, to­dos já es­tão ha­bi­tu­a­dos à sua ro­ti­na. “Quan­do di­zem que fi­lho de pei­xe, pei­xi­nho é… Se dei­xar, meus fi­lhos são mais in­flu­en­ci­a­do­res do que eu! Eles en­ten­dem e res­pei­tam e, às ve­zes, quan­do es­tou gra­van­do, que­rem apa­re­cer e tu­do vi­ra uma brin­ca­dei­ra!”, con­ta. “Já Bru­no é meu se­gui­dor mais as­sí­duo, me in­cen­ti­va, me apoia e aju­da na con­quis­ta dos meus so­nhos”, fa­la ela, ca­sa­da há 15 anos. “O se­gre­do do ca­sa­men­to é sa­ber se re­no­var e, de tem­pos em tem­pos, é pre­ci­so vol­tar a na­mo­rar, tro­car ca­ri­nhos, vol­tar a se­du­zir e ser se­du­zi­da e, se pos­sí­vel, fa­zer uma no­va lua de mel”, elen­ca. O

Se a jor­na­da on-li­ne tem ren­di­do bons fru­tos pa­ra Pau­li­nha, é na vi­da off-li­ne que ela en­con­tra sua mo­ti­va­ção. “Não é fá­cil con­ci­li­ar tra­ba­lho, ca­sa, fi­lhos, ma­ri­do, mas fa­mí­lia sem­pre vem em pri­mei­ro lu­gar. Meus fi­lhos são mi­nha ba­se”, diz a ma­mãe co­ru­ja dos gê­me­os En­ri­co e Va­len­ti­na (8), da união com Bru­no Pret­ti (40). Em ca­sa, aliás, to­dos já es­tão ha­bi­tu­a­dos à sua ro­ti­na. “Quan­do di­zem que fi­lho de pei­xe, pei­xi­nho é… Se dei­xar, meus fi­lhos são mais in­flu­en­ci­a­do­res do que eu! Eles en­ten­dem e res­pei­tam e, às ve­zes, quan­do es­tou gra­van­do, que­rem apa­re­cer e tu­do vi­ra uma brin­ca­dei­ra!”, con­ta. “Já Bru­no é meu se­gui­dor mais as­sí­duo, me in­cen­ti­va, me apoia e aju­da na con­quis­ta dos meus so­nhos”, fa­la ela, ca­sa­da há 15 anos. “O se­gre­do do ca­sa­men­to é sa­ber se re­no­var e, de tem­pos em tem­pos, é pre­ci­so vol­tar a na­mo­rar, tro­car ca­ri­nhos, vol­tar a se­du­zir e ser se­du­zi­da e, se pos­sí­vel, fa­zer uma no­va lua de mel”, elen­ca. O

“Bru­no é meu se­gui­dor mais as­sí­duo, me apoia e aju­da na con­quis­ta de so­nhos.”

Advertisement

Continue Reading
Advertisement

Geral

  Uma Viagem Memorável a Canindé de São Francisco

Published

on

By

Descobertas e Encantamento

 

Entre os dias 11 e 12 de maio de 2024, um grupo de jornalistas teve a oportunidade de explorar alguns dos pontos turísticos mais impressionantes e significativos de Canindé de São Francisco. A seguir, destacam-se os momentos mais marcantes dessa jornada inesquecível.

 

Advertisement

Cânion de Xingó: Um Espetáculo da Natureza

A visita ao Cânion de Xingó foi uma experiência verdadeiramente memorável. Com suas vistas deslumbrantes e uma conexão profunda com a natureza, este magnífico local deixou uma marca indelével em todos os presentes. A beleza e a grandiosidade do cânion são incomparáveis, fazendo dele um destino imperdível para quem visita à região.

 

Rota do Cangaço: Um Mergulho na História

O passeio pela Rota do Cangaço permitiu ao grupo mergulhar na cultura local e reviver importantes momentos do cangaço brasileiro. Através das narrativas e dos locais visitados, os jornalistas entenderam melhor a rica história e as tradições da região. Esta experiência histórica foi enriquecedora e ofereceu uma nova perspectiva sobre a vida e as lutas dos cangaceiros.

Advertisement

 

Passeio de Catamarã: A Beleza do Rio São Francisco

Navegar pelas águas do Rio São Francisco em um catamarã foi uma experiência única. Este passeio ofereceu uma perspectiva diferenciada das belezas naturais de Canindé de São Francisco, complementando a experiência com momentos de relaxamento e contemplação. A tranquilidade das águas e a paisagem ao redor tornaram este passeio inesquecível.

 

Hospedagem no Xingó Parque Resort Hotel: Conforto e Hospitalidade

Advertisement

A estadia no Xingó Parque Resort Hotel foi marcada pelo conforto, qualidade do serviço e hospitalidade excepcional. Agradecimentos profundos foram direcionados à Senhora Kátia Pimentel Gadelha, proprietária do empreendimento e também Diretora de Turismo de Canindé de São Francisco, pela hospedagem impecável. Sua dedicação à promoção do turismo local é verdadeiramente inspiradora e foi crucial para o sucesso da estadia dos jornalistas.

 

Receptivo pela FAROL TUR: Acolhimento e Profissionalismo

O profissionalismo e a simpatia do Senhor Erivaldo, da FAROL TUR, foram fundamentais para que todos se sentissem bem acolhidos e confortáveis durante toda a visita. O suporte constante e a atenção aos detalhes fizeram toda a diferença na experiência dos visitantes.

 

Advertisement

Passeios de Catamarã Cânion de Xingó e Lancha para Rota do Cangaço com a Operadora MFTUR: Exploração e Aventura

Com a operadora MFTUR, o grupo teve a opção de parar no Ecoparque, o que enriqueceu ainda mais a experiência. Esta parada oferece diferentesperspectivas e oportunidades de exploração, tornando o passeio ainda mais fascinante.

 

Gastronomia Local: Almoço com a Chef Lalá

A culinária local, apresentada pela Chef Lalá no Restaurante Caçuá e na Bodega da Chica, foi um destaque à parte. Os sabores autênticos e a hospitalidade dos estabelecimentos transformaram cada refeição em uma verdadeira celebração da gastronomia regional.

Advertisement

 

Noite na Roça: Encanto e Autenticidade

A experiência de passar uma noite na roça, na casa da Dona Bella, foi encantadora. A autenticidade e o calor humano encontrados ali foram incomparáveis, proporcionando uma conexão profunda com a cultura local. Esta noite será lembrada por sua simplicidade e acolhimento caloroso.

 

ORLA DE CANINDÉ: Almoço e Embarque para Rota do Cangaço

Advertisement

A visita à Orla de Canindé foi igualmente marcante, com um delicioso almoço seguido pelo embarque para a Rota do Cangaço. Este complemento final à experiência destacou ainda mais a diversidade e a riqueza das atrações locais.

A viagem a Canindé de São Francisco revelou-se uma experiência enriquecedora e inesquecível. A hospitalidade e a dedicação de todos foram fundamentais para o sucesso da visita, proporcionando momentos de descoberta, aprendizado e encantamento. Canindé de São Francisco mostrou-se um destino imperdível, repleto de belezas naturais, história rica e uma cultura vibrante que certamente conquistou todos os presentes.

 

Advertisement
Continue Reading

Geral

Especialista em enxoval Melissa Biscoto, dá dicas do que o casal deve levar em conta na hora de comprar o carrinho

Published

on

By

CEO da Mel Shopper, ensina a escolher o carrinho de bebê ideal é uma tarefa emocionante, mas também pode ser desafiadora devido à infinidade de opções disponíveis no mercado. Para garantir que você faça a melhor escolha, Melissa Biscoto, CEO da Mel Shopper, oferece destacou os fatores essenciais que devemos levar em conta na hora de escolher o item

Praticidade
A praticidade é um dos principais fatores a considerar ao escolher um carrinho de bebê. Opte por modelos que sejam fáceis de montar e desmontar, leves para transportar e que ocupem pouco espaço quando fechados. Carrinhos com sistema de fechamento com uma mão são extremamente convenientes, especialmente para pais que estão sempre em movimento.

Conforto
O conforto do bebê é fundamental. Verifique se o carrinho possui um assento bem acolchoado, com ajuste de reclinação para diferentes posições, especialmente se o bebê ainda for pequeno e precisar dormir durante os passeios. Um bom sistema de suspensão também é importante para garantir um passeio suave, mesmo em terrenos irregulares.

Orçamento
Definir um orçamento é crucial antes de começar a procurar pelo carrinho ideal. Há opções para todos os bolsos, desde modelos mais acessíveis até os mais luxuosos. Lembre-se de que é possível encontrar carrinhos que oferecem excelente custo-benefício, equilibrando qualidade e preço.

Advertisement

Estilo de Vida da Família
O estilo de vida da família deve influenciar a escolha do carrinho. Para famílias que vivem em áreas urbanas e utilizam transporte público com frequência, um carrinho compacto e leve é uma excelente escolha. Para aquelas que gostam de atividades ao ar livre ou que vivem em áreas rurais, um modelo robusto com boas rodas pode ser mais adequado.

Tamanho do Porta-Malas
Antes de finalizar a compra, certifique-se de que o carrinho cabe no porta-malas do seu carro. Alguns modelos são volumosos e podem não se adequar a porta-malas menores. Fazer um teste de encaixe pode evitar futuras frustrações.

Espaço em Casa
Se o espaço em casa é limitado, escolha um carrinho compacto e fácil de armazenar. Modelos que dobram de forma prática são ideais para quem vive em apartamentos ou casas com espaço reduzido.

Uso de Bebê Conforto
Muitos carrinhos são compatíveis com bebês conforto, permitindo que você mova o bebê do carro para o carrinho sem acordá-lo. Verifique se o modelo que você está considerando oferece essa compatibilidade, pois pode ser um grande diferencial no dia a dia.

Proteção UV
Para proteger seu bebê dos raios solares, escolha um carrinho com uma capota extensível que ofereça proteção UV. Esse recurso é essencial para passeios em dias ensolarados, garantindo que o bebê esteja protegido e confortável.

Advertisement

Segurança
A segurança do bebê deve ser a prioridade número um. Procure por carrinhos com cinto de segurança de cinco pontos, travas nas rodas traseiras e certificações de segurança. Esses itens garantem que seu bebê estará sempre protegido durante os passeios.

Ela deu ainda mais 3 dicas importantes

Peso do Carrinho: Carrinhos mais leves são mais fáceis de manusear, especialmente se você precisa subir e descer escadas frequentemente.

Armazenamento: Carrinhos com cestos de armazenamento são práticos para carregar bolsas, brinquedos e outros itens essenciais.

Acessórios: Alguns carrinhos vêm com acessórios adicionais, como porta-copos, bandejas para alimentos e capas de chuva. Esses extras podem ser bastante úteis.

Advertisement

Simplifique sua Escolha com a Mel Shopper
Na Mel Shopper, entendemos que escolher o carrinho ideal pode ser uma tarefa desafiadora. Por isso, oferecemos uma consultoria personalizada para ajudá-lo a encontrar o carrinho perfeito que atenda todas as suas necessidades e expectativas. Nosso site dispõe de uma ampla variedade de modelos e marcas, facilitando a comparação e a escolha.

Deixe a Mel Shopper tornar essa missão mais fácil e agradável. Confie na nossa expertise para fazer a melhor escolha para você e seu bebê.

Visite nosso site e agende sua consultoria: www.melshopper.com.br

Advertisement
Continue Reading

Geral

Força Invisível: Caio Bastos opina como mães solo moldam o futuro com coragem e determinação

Published

on

By

advogado especialista em Direito da Família diz que o aumento do número de mães solo no Brasil reflete transformações significativas nas dinâmicas familiares

Um levantamento realizado pelo Ibre-FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas) apontou que até o final de 2022 havia mais de 11 milhões de mães solo no Brasil. A pesquisa também mostra o aumento de 1,7 milhão de mães que criam seus filhos de forma independente no período de 2012 a 2022, passando de 9,6 milhões para 11,3 milhões.

De acordo com o advogado especialista em Direito da Família, o aumento do número de mães solo no Brasil reflete transformações significativas nas dinâmicas familiares. “Além de enfrentarem desafios como estigmas sociais e dificuldades financeiras, essas mulheres mostram uma resiliência notável, adaptando-se e crescendo a partir de suas circunstâncias”, diz.

Ele afirma que muitas mães solo não têm um emprego formal e lutam diariamente para sustentar suas famílias através de trabalhos informais ou com o apoio de amigos e programas de assistência. “Essa instabilidade financeira destaca a importância de uma rede de suporte confiável que inclui familiares, amigos e grupos de apoio comunitário, fundamentais para o bem-estar emocional e prático delas e de seus filhos”, reflete.

Advertisement

Caio diz que outro desafio significativo enfrentado por essas mães é a luta por uma pensão alimentícia justa. “Muitas vezes, o abandono por parte do outro genitor não se limita apenas à ausência física, mas também à falta de suporte financeiro, forçando essas mães a buscar o judiciário para garantir o sustento dos filhos. Nesse contexto, a ajuda de um advogado especializado em direito de família se torna crucial. Um profissional qualificado pode orientar e representar essas mães em ações judiciais, garantindo que os direitos dos filhos à alimentação, educação e saúde sejam respeitados”.

Ele opina que as histórias de superação de mães solo que, apesar dos obstáculos, conseguem criar ambientes amorosos e seguros para seus filhos são inspiradoras. “Esses relatos não apenas mostram a capacidade dessas mulheres de enfrentar adversidades, mas também a importância de políticas e apoios sociais que fortaleçam suas redes de suporte”, acredita.

“Adicionalmente, a autonomia e o empoderamento são essenciais para que essas mães possam superar os estereótipos e as dificuldades sociais. Programas de capacitação e educação continuada podem abrir novos caminhos profissionais e pessoais para elas, promovendo não apenas a independência financeira, mas também o desenvolvimento pessoal’, completa.

O advogado aponta que é fundamental que a sociedade reconheça e valorize a força e independência dessas mães. “Apoiá-las significa fortalecer toda a comunidade, garantindo que elas e seus filhos não apenas sobrevivam, mas prosperem em suas jornadas”.

Advertisement
Continue Reading

Mais Lidas

Copyright © TimeOFFame - Todos os direitos reservados